>>   Menu
  Autoridades
  Avisos de licitações
  Concursos
  Conselhos Municipais
  Contas Públicas
  Documentação/obras
  Documentação/
  tributação
  Leis Decretos Portarias
  Portal de Transparência
  Hino/Bandeira
  Localização
 
   >>   Interesses
  Agência do trabalhador
  Chalé do produtor
  Conselho Tutelar
  CRAS
  Escolas e CMEIs
  Festas do município
  Grupos folclóricos
  Hotéis
  Igreja São Miguel
  Arcanjo
  Junta Militar
  Lendas
  Nossa História
  Unidades de saúde
  Tributação
  Sede Distrital
 
   >>   Secretarias
  Administração
  Agropecuária e
  Abastecimento
  Cultura e Turismo
  Educação
  Esporte
  Família e
  Desenvolvimento Social
  Fazenda
  Meio Ambiente e
  Recursos Hídricos
  Obras e Serviços
  Públicos
  Planejamento
  Saúde
 
   >>  Interno
  Servidor Público
  Webmail
 
>> Lendas
 

 

Monge São João Maria


Conta-se que vários monges andaram pela região sul e tiveram participação na questão do Contestado. Mallet também contou com a presença de um monge e sua influência. São João Maria levava a vida de peregrino, pregava o bem e fazia milagres. É conhecido, também, como o homem que andava descalço, usava uma barba longa e era severo. Ele costumava abençoar ou amaldiçoar o local, conforme era recebido pelas pessoas. Com relação às bênçãos e às maldições, o povo diz que ao passar por Mallet, abençoou a cidade: enquanto que um distrito teria sido amaldiçoado, São João Maria disse: "vai virar um carreiro de veado e um purungá".

Um fato comum à sua passagem é a benção de olhos d'água e das fontes. Estas águas são consideradas pelo povo como milagrosas, que curam. Em Mallet existe um olho d'água que a população cuida. Conta-se que dois municípios vizinhos teriam sido amaldiçoados por São João Maria e que deveriam desaparecer com uma grande enchente. E aconteceu que realmente os municípios tiveram sérios problemas de enchentes. Algumas pessoas ligam o ocorrido à maldição de São João Maria.

 

 
   
 
 
a